Referência no Sul do RS, Pronto Socorro de Pelotas registra superlotação

Na manhã desta terça-feira, havia 80 pacientes, o dobro da capacidade. Alguns chegam a ser atendidos nos corredores. Diretora diz que problema se deve à falta de leitos em outros hospitais da cidade.

Por Luiza La-Rocca, RBS TV PelotasPacientes reclamam de superlotação em Pronto Socorro de PelotasPacientes reclamam de superlotação em Pronto Socorro de Pelotas

O Pronto Socorro de Pelotas, referência na Região Sul do Rio Grande do Sul, registra superlotação. Na manhã desta terça-feira (11), havia 80 pacientes, o dobro da capacidade. Alguns chegam a ser atendidos nos corredores enquanto esperam por um leito.

A situação causa revolta em pessoas que acompanham pacientes. A dona de casa Cibele de Souza Domingues diz estar no hospital há mais de uma semana à espera de uma vaga.

“A gente está aqui desde terça-feira passada. A minha avó está com pneumonia e infecção urinária e desde quando ela veio pra cá, ela está numa maca, e ela senta, ela deita e a cama corre”, reclama.

Um dos motivos da superlotação, segundo a direção do Pronto Socorro, é a falta de leitos nos outros hospitais da cidade.

“A causa maior de permanência dentro do Pronto Socorro realmente é a falta de rotatividade nos hospitais. Então nós trabalhamos com juntamente a Central de Regulação de Leitos, que é o que monitora esses leitos nos variados hospitais da cidade e ofertam esses leitos para o Pronto Socorro”, diz a diretora da instituição, Rosana Van Der Lan.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza 300 vagas para pacientes nos três hospitais de Pelotas. O número, no entanto, não dá conta da demanda.

A vendedora Luciana Nascimento conta que o marido dela ficou nove dias no Pronto Socorro, foi pra casa e, desde a última sexta-feira (7), está no hospital de novo.

“Um lixo”, esbraveja Luciana. “A gente não tem o que fazer, não tem dinheiro, não tem nada, não tem o que fazer, a gente vê a pessoa passando por isso e a não sabe o que fazer”, desabafa.

Fonte/Reprodução: G1RS

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.