Fiscalização em Carazinho fecha estabelecimento que não deveria funcionar

Decreto emitido na sexta-feira (19) determinava fechamento de alguns tipos de serviço. Prefeitura notificou proprietário naquela data e no sábado houve reincidência

Foto: Reprodução | Prefeitura

Por:

A prefeitura de Carazinho divulgou neste domingo (21) em suas redes sociais que os fiscais do município estão desde a última sexta-feira (19), em diligências pelas ruas da cidade principalmente em locais onde se observou desconformidade com os novos decretos referentes à pandemia.

Conforme o chefe da fiscalização, Michael Gastring, foram abordados grupos nas calçadas, em postos de combustíveis que estavam ingerindo bebida alcoólica, prática não autorizada para espaços públicos neste momento. Além dos fiscais da prefeitura, atuam também os agentes de trânsito, da vigilância sanitária. O grupo tem apoio da Brigada Militar nas abordagens.

Em entrevista à Rádio Diário AM 780 na manhã desta segunda-feira (22) Gastring destacou que em um dos casos, um dos estabelecimentos tinha sido notificado na sexta-feira (19) e no sábado (20) quando feita nova fiscalização permanecia aberto de modo que foi então fechado. “O último decreto é bem claro quanto aos estabelecimentos que não devem funcionar: bares, choperias, cervejarias e de entretenimento não podem abrir. Ocorre que alguns estabelecimentos possuem mais de uma atividade, como restaurante, por exemplo. Estes devem respeitar as orientações sanitárias, ocupação máxima, fazendo apenas a atividade de restaurante, ele pode funcionar até as 22h”, exemplificou, acrescentando que situações como esta geram comentários da comunidade.

“Por desconhecerem o ramo de atividade do estabelecimento, as pessoas criticam. Neste sentido colocamos a disposição nosso WhatsApp – 99695-6631 – e durante o dia as pessoas podem ligar na prefeitura – 3331-2699 – para tirar suas dúvidas. É importante que fiquem atentos que pode ser feito novo decreto e as normas que estão em vigor hoje podem ser alteradas”, observou.

Gastring comentou que o setor recebeu denúncias de aglomeração em residências, como reunião de pessoas em piscinas particulares, por exemplo. No entanto, não é atribuição da fiscalização entrar no imóvel ou obrigar e encerrar a confraternização, mas que orienta o encerramento.

“Observamos que não só os postos de combustíveis que têm concentrado pessoas. Uma pequena parcela da população insiste em não observar a situação. Existem sim muitas denúncias sobre festas em residências de forma exagerada. Dentro disso fazemos nossas orientações. Pedimos que evitem estas reuniões”, reiterou.

Sobre a bandeira preta, instituída preliminarmente pelo Estado na sexta-feira (19) e que dependendo do resultado das apelações dos prefeitos poderá ser mantida, Gastring disse que ela traz inúmeras restrições.

“Dependerá da manifestação do município e do feedback que o Estado dará para que o decreto seja emitido. Nós da fiscalização não temos informação específica, mas estamos atentos ao que pode acontecer hoje ou amanhã”, colocou.

Link da Notícia: https://diariodamanha.com/noticias/fiscalizacao-em-carazinho-fecha-estabelecimento-que-nao-deveria-funcionar/

Fonte/Reprodução: DiárioDaManhã

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.