Em depoimento, acusado de crime bárbaro em Carazinho conta como asfixiou e matou idosa em incêndio

A delegada de polícia civil, Rita De Carli, em entrevista para a Rádio Gazeta nesta quarta-feira (18) contou sobre o crime que chocou a todos nesta madrugada, e tirou a vida de Nelcy Marina Brizolla Machado, 83 anos, conhecida como Baixinha, moradora da sua Silva Jardim esquina com a Helena Loeff, no centro.

A polícia civil, com apoio da brigada militar, em poucas horas conseguiu elucidar o que inicialmente parecia ser um incêndio, e se confirmou sendo um latrocínio, roubo seguido de morte.  ‘‘Foi identificado o autor do fato, na delegacia ele confessou que praticou todas as ações que culminaram com a morte dela, inicialmente pedindo dinheiro emprestado, a vítima se negou, ele é usuário de drogas, estava na fissura da droga, queria muito o dinheiro para comprar droga, saiu da casa dela, retornou mais tarde, nesta madrugada, quando entrou no local e praticou o crime. Ele disse no interrogatório que a que idosa começou a gritar, temendo que alguém ouvisse e ele fosse pego dentro da residência, ela a sufocou, asfixiou. Assim que ela desmaiou e caiu, ele, achando que ela estivesse morta, colocou fogo na casa, inicialmente num sofá, nas almofadas, usando isqueiro da própria residência da vitima”, conta a delegada.

Conforme Rita De Carli, a causa da morte, se foi asfixia ou em função da esganadura do pano, ou do fogo, se morreu em função das queimaduras, será revelado pela perícia.

Para a polícia, o criminoso contou que em oportunidades anteriores pedia dinheiro emprestado para a vítima, às vezes ela dava, às vezes não, às vezes ele devolvia o dinheiro, às vezes não, e que eles eram vizinhos, inclusive num período ele trabalhou na casa da vitima recebendo remuneração.

No relato do depoimento ele informou como arrombou a casa para entrar, que subtraiu uma televisão que foi recuperada bem próximo do local, e alguns alimentos, pois estaria com fome e na fissura da droga. ”Ele abordou a vítima pedindo dinheiro, como ela não deu e gritou, ele tentou imobilizar asfixiando, e depois que estava desmaiada, amarrou as mãos e pernas, ela ficou caída de bruços e desmaiada. Foi um crime muito violento, lamentavelmente a idosa não teve a mínima condição de se defender de tudo isso”.

Ainda conforme a delegada o homem de 28 anos que não teve o nome divulgado tem muitos antecedentes criminais, mais de 20 por furto e roubo, usuário de drogas, parou com as drogas por um tempo, e recaiu, nesse contexto, acabou cometendo esse crime.

O sepultamento

Nelcy Marina Brizolla Machado está sendo velada na sala C das capelas Centro da Funerária Adam, o sepultamento será às 18h desta quarta-feira no cemitério municipal de Carazinho. Ela deixa os filhos Lourdes Terezinha Brizolla Machado Lima e João Luis Brizolla Machado, e demais familiares.

Link da Notícia: https://gazeta670.com.br/noticia?id=42062

Fonte/Reprodução: PortalGazeta

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.