Coudet revela “puxão de orelha” da diretoria após críticas aos gramados: “Sou sincero”

Incomodado sobre os questionamentos do rendimento do time, interrompia as perguntas para se defender e atacar os problemas do gramado. Chegou a dizer que, se tivesse que disputar mais partidas em campos sem as condições ideais, seria melhor procurar um outro técnico porque “não sabe preparar equipes para jogar por cima”.

O argentino, desde os tempos de jogador, é conhecido pela espontaneidade. A irreverência divide espaço com o faceta contestadora. Na quarta, tão logo terminou a vitória por 2 a 0 sobre o Aimoré e assegurou classificação às semifinais do Gauchão, revelou que o estilo o custou uma reprimenda da diretoria.

Coudet reclamou do gramado da Montanha dos Vinhedos — Foto: Ricardo Duarte / Internacional
Coudet reclamou do gramado da Montanha dos Vinhedos — Foto: Ricardo Duarte / Internacional

– Às vezes, tenho problema ou que me puxam as orelhas por parte do clube. Quem manda é a direção, mas assim sou eu. Sou espontâneo e digo o que penso, por mais que tenha consequências. Eu não posso cobrar os jogadores sem ter as melhores condições. Digo o que sinto, sou sincero e não minto. Quando jogarmos mal, serei o primeiro a falar. Mas sem as mínimas condições para tentar jogar, não posso colocar a culpa nos jogadores. No último jogo, os agradeci pelas condições – disse Coudet.

A cobrança surtiu efeito. O hermano esteve mais ponderado na conferência após o duelo com o Aimoré. O rendimento do Inter e o gramado, claro, ajudaram, mas o profissional repetiu comportamentos anteriores.

Independente das frases, o Colorado espera seguir a evolução. De preferência no Beira-Rio, onde se sente mais confortável e que trabalha para conseguir a liberação, embora o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, ainda vete partidas na capital gaúcha. Em bandeira vermelha, com alto risco de contágio do coronavírus, o representante entende que não é possível liberar.

O aval de Alvorada dá tranquilidade de um “plano B” com qualidade. A única questão aberta diz respeito à iluminação. Sem refletores, os jogos precisam ser pela parte do dia. Às 18h, quando terminam as partidas que começam às 16h, horário tradicional, principalmente aos domingo, já está escuro.

Os próximos dias serão de novas discussões entre a cúpula e as autoridades. O Inter mantém a esperança de ter o Beira-Rio liberado. Nas semifinais, o time de Eduardo Coudet enfrenta o Esportivo. A partida ainda não tem data e local definidos.

Fonte/Reprodução: https://globoesporte.globo.com/rs/futebol/times/internacional/noticia/coudet-revela-puxao-de-orelha-da-diretoria-apos-criticas-aos-gramados-sou-sincero.ghtml

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.