Com superlotação, hospitais do interior do RS enfrentam esgotamento de recursos

Em Boqueirão do Leão, hospital estima que usou em quatro dias quantidade de oxigênio equivalente a sete meses. Na Serra, contêineres são usados como leitos de enfermaria.

Por Kelly Veronez e Luiza La Rocca, RBS TV

Avanço da Covid-19 preocupa autoridades de saúde de Boqueirão Leão
Avanço da Covid-19 preocupa autoridades de saúde de Boqueirão Leão

O avanço rápido nas hospitalizações por Covid-19 vem esgotando os recursos de hospitais em todo o estado. Em Boqueirão do Leão, no Vale do Rio Pardo, o único hospital da cidade estima que usou, em quatro dias, a mesma quantidade de oxigênio que em sete meses de pandemia.

Na última semana, ele precisou adaptar as estruturas às pressas devido ao aumento de pacientes com sintomas graves.

“A gente tem um limite, né? Normalmente o nosso limite era de quatro pacientes ao mesmo tempo utilizando oxigênio, e nós já chegamos a ter, por algumas horas, 12 pacientes utilizando ao mesmo tempo”, afirma Alessandro Trade, administrador do Hospital Dr. Anuar Elias Aesse.

As internações clínicas e os exames para coronavírus são feitos no hospital, e o movimento tem sido intenso. Um homem de 46 anos morreu na madrugada deste sábado (20) esperando por uma vaga de UTI no estado, pois o hospital não tinha como dar o suporte.

Mas o que chama a atenção das autoridades de saúde e da prefeitura é o volume de testes com resultado positivo. Nos últimos 10 dias foram 87 casos confirmados. Antes, nos outros 10 dias de fevereiro, a cidade só teve um caso positivo.

“Nós estamos tendo que ficar aqui em período integral. Praticamente no período em que eu não estou no centro de triagem, eu estou aqui no hospital atendendo os pacientes com Covid-19 ou encaminhando algum dos pacientes. Nesta semana, desde o dia oito para cá, está extenuante”, afirma o médico Guilherme Scheibler, clínico-geral do hospital.

Hospital de Boqueirão do Leão tem aumento crítico de internações por Covid-19 — Foto: Reprodução/RBS TV
Hospital de Boqueirão do Leão tem aumento crítico de internações por Covid-19 — Foto: Reprodução/RBS TV

Em Santa Cruz do Sul, segundo a prefeitura, dos dois hospitais com leitos de UTI, um está com 100% da capacidade e, no outro, restam penas dois leitos livres. A Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo faz uma reunião para avaliar a classificação da região em bandeira preta no mapa do distanciamento controlado do estado, mas a prefeitura já anunciou que vai manter a decisão do governo do RS.

Em Lajeado, no Vale do Taquari, o Hospital Bruno Born tem apenas duas vagas de UTI, e outros municípios já estão superlotados.

Em Gramado, na Serra, a taxa de ocupação da UTI chegou a 100% neste sábado. Nos leitos clínicos havia 30 pacientes, sendo que a capacidade é de nove.

Em Canela, os 10 leitos de UTI adulto estão ocupados. Dois contêineres precisaram ser alugados e adaptados para criar mais seis leitos de enfermaria Covid.

Em Caxias do Sul, a taxa de ocupação de UTI Covid SUS é de 79%, e mais seis leitos foram abertos na rede privada. A prefeitura publicou um decreto com restrições, como a limitação de atendimento para estabelecimentos comerciais e serviços até as 22h. A multa é de mais de R$ 1,8 mil para quem descumprir.

Hospitais de Gramado e Canela estão com todos os leitos de UTI ocupados
Hospitais de Gramado e Canela estão com todos os leitos de UTI ocupados

Link da Notícia: https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2021/02/20/com-superlotacao-hospitais-do-interior-do-rs-enfrentam-esgotamento-de-recursos.ghtml

Fonte/Reprodução: G1RS

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.